A cada história enviada percebemos a grandeza do EMEJ na vida de cada um de nós. Parece um pouco estranho dizer que um evento pode nos proporcionar tantos sentimentos diferentes simultaneamente. Perceber que após uma palestra estamos mais inconformados, motivados, alegres, com vontade de fazer diferente, de se identificar com o restante dos congressistas e um tanto de outras coisas que passam dentro de nós. Isso é resultado do maior de todos os sentimentos que o EMEJ proporciona, o de pertencimento!

Saber que fazemos parte de um movimento em que todos estão, o tempo todo, sonhando e querendo realizar suas ideias, nos deixa mais certos de que os nossos pensamentos não são bobeiras, não estão sozinhos! Temos a sorte de pertencer a um grupo destemido, orgulhoso das suas construções, projeções e que quer realmente mudar o mundo. O valor que define um empresário júnior -pessoas capazes de mudar o mundo- não é dado à toa. Realmente temos o poder de modificar nossas realidades e aquelas à nossa volta. O EMEJ a cada edição contribui nos mostrando isso.
A Elizangela, da FarBio, percebeu que não sonha sozinha e mais do que isso, que não está sozinha na vontade de tornar sua experiência no MEJ algo essencialmente real!

“A primeira edição do EMEJ que participei foi em 2014, em Ouro Preto. Primeiro me marcou, pois não conhecia a cidade e já me chamou atenção em ser lá, uma cidade que sempre quis conhecer aliada a um evento que queria muito participar.

PLIM!!! Fui para Ouro Preto, me encantei com a cidade e claro já no cadastramento do EMEJ me empolguei com as pessoas maravilhosas que me receberam com tamanho entusiasmo e alegria. Com o início do evento me surpreendi ao ver que não estava sozinha. Meus sonhos empreendedores não eram os únicos, e senti como se finalmente tivesse achado minha “tribo”.

O EMEJ me fez ver que sonhos são sim, possíveis de se tornarem realidade, por mais absurdos que pareçam ser. TODAS as palestras foram I-N-C-R-Í-V-E-I-S, mas uma em especial me fez pensar, Mark. C. Kirst, um verdadeiro sonhador! Com a história de vida dele, o jeito que ele se apresentou, me incentivou a continuar, à querer mais e mais, sempre. Mesmo que todos digam que é loucura. Com esta e tantas outras palestras, após o EMEJ meus olhos, que eu achava que estavam abertos, se arregalaram para o mundo. Fiquei mais motivada e cheia de vontade de fazer parte ainda mais de tudo isso, desse movimento, do MEJ, que tanto me encanta.
Hoje quero participar de tudo, de todos os eventos, encontros, pois a sensação que fica durante e depois desses encontros é a satisfação que não estou sozinha, a vontade de crescer e, mais do que isso, acreditar que SIM podemos mudar o mundo!”

Elizangela Campideles, Diretora Presidente da Far-Bio

Recommended Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top